Maria João Worm


O Sonho enquadrado
26 Março 2011, 8:24 pm
Filed under: Uncategorized

Um lugar com paredes brancas. Dois homens trabalham, o espaço está em obras que parecem estar a ser finalizadas. Existem plásticos duros e quase transparentes que protegem o chão. A luz enche o espaço. Os homens parecem dedicados ao que fazem. Em cima de uma mesa de madeira está um papel. Poderia ser apenas um papel mas é um papel que tem uma pintura, parece uma pintura daquelas a que chamamos arte. Entra outro homem na sala. Os que trabalham param, olham para ele e um diz-lhe que a filha dele gosta de mulheres como o pai.

Quem falou ri-se e torna-se enorme e sabe que tem força. Pega numa madeira perdida e ata o homem que acabou de chegar. Eu não sou como a tua filha diz-lhe. E enquanto o diz sobe-lhe o que parece sangue à boca. É pastoso e escuro. Avança sobre o que ficou preso na madeira.

Mais tarde, não sei quanto tempo depois, saem do quarto branco. Já liberto e acompanhado pelos outros, o homem trás na mão o papel que estava em cima da mesa. Têm a expressão da concretização, mais do que isso têm a prova. Não sei porque estou naquele lugar mas eles apenas me querem ali como testemunha. O papel é uma pintura concluída. Sobre os tons de azul e verde e algumas linhas de amarelo tinham pintado com sangue traços largos, contornos.

Lydia F. Paradise

Anúncios

Deixe um Comentário so far
Deixe um comentário



Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: