Maria João Worm


o amor perfeito
2 Julho 2011, 2:40 pm
Filed under: Uncategorized

Um chapão de sombra azul

e entre as folhas, a visão translúcida

num intervalo de ar.

                   .

As raízes profundas são líquidas.

                        .

Cheiro a lentidão das árvores

nas cascas finas dos caracóis,

na amplitude onde zunem

pétalas de pequenos corpos.

                      .

Será que dói dar tantas flores.

                      .

Poeira de vento que separa os seres.

Pedais que não apanham a velocidade exacta,

nem chegam ao lugar certo.

                     .

Onde julgo que me encontro

perdi-me sem nunca me ter.

(anónimo)