Maria João Worm


A fonte das palavras 3 poemas
25 Setembro 2011, 6:41 pm
Filed under: Uncategorized | Etiquetas: , ,

Perder faculdades

não é faltar às aulas do ensino superior

e claro é, que no desaproveitamento convencional

do acesso à informação, se apreende o que fica

no lugar sem nome

que é a dúvida sem fundamento:

Os cogumelos que crescem junto à raíz daquela árvore são grumosos,

bizarros na forma.

Pequenos mas monstruosos.

Não sei se são venenosos.

                                          .

Quando morre alguém a meio de um trabalho

e outro alguém, ainda vivo, o continua

sinto uma presença mais viva do que estar vivo.

Lembrar, dando corpo ao outro corpo desaparecido

pode ser o caso transvestido do amor que se completa no encontro da impossibilidade.

                                                                   .

Se pensarmos que o meu corpo é habitado por mim mas que poderia ser habitado por ti

se tu tivesses nascido no meu lugar.

E apesar de nos nossos gestos diferentes existir a mesma responsabilidade de habitarmos um terreno baldio,

Sabemos que em nós está presente, a imperfeição de não sermos o outro.

(Esther F. W. W.  tradução de Esther F. W. W.)

Anúncios

Deixe um Comentário so far
Deixe um comentário



Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: