Maria João Worm


Árvores
24 Agosto 2012, 2:29 pm
Filed under: Uncategorized

Ainda me encontro com as árvores,

atrás delas estão outras imagens que se escondem como as crianças.

Outras árvores jovens circuncrevem-se nos anéis das mais velhas. é delas que por vezes sai um ramo novo.

Quanto mais velhas mais espaço fisico ocupam,  mais a pele endurece para proteger,o que cada vez mais escondem dentro e por detrás delas.

Olá, que bom reconhecer-te e nesse momento, os gelados dos anúncios recordam bicicletas, tempos idos que se perpetuam noutros que agora constroem o que ficará escondido atrás e dentro das árvores.

A memória é um bando disperso como os passarinhos que pousam nas copas altas e nos galhos por entre a folhagem.

Que estranhamente familiar é este encontro, sinto nos nós dos troncos, os nós dos dedos, a aceitação do envelhecimento nos líquenes. Musgos ásperos que lembram as algas. Escrita do vento directo do mar longinquo.

Olho para ti e digo, que bom é ver-te.

Não sabia que precisava tanto de saber reconhecer-te.

Anúncios